Tecnologia de Vanguarda

  • Emfield Pro
  • Sistema Super Indutivo
  • Terapia Indutiva de Alta Potência
  • Magnetoterapia
  • Eletromagnetismo de Alta Intensidade

Magnetoterapia, terapia indutiva de alta potência, sistema super indutivo ou eletromagnetismo de alta intensidade, são designações diferentes, porém todos se referem ao mesmo, e a Fisioglobal utiliza este recurso terapêutico num sem número de casos clínicos.

A Fisioglobal trabalha com a reputada marca alemã – Zimmer – com o equipamento comercialmente designado por “emField Pro”.

Esta tecnologia produz um campo magnético de alta intensidade (3 Teslas) que gera uma neuromodulação não invasiva do sistema nervoso periférico e sistema nervoso central capaz de induzir um sem número de efeitos terapêuticos [1) analgésico; 2) anti-inflamatório; 3) regenerador] tendo por isso aplicação num leque diversificado de condições clínicas.

O emField Pro é tido como o aparelho mais potente do mercado na área dos campos eletromagnéticos pulsados e passou por um crivo rigoroso de testes clínicos. É uma terapêutica com base científica, originalmente desenvolvida pela NASA e atualmente é usada a nível internacional por centros clínicos privados e clubes desportivos de topo. A Fisioglobal é das poucas unidades de saúde privadas em Portugal com esta tecnologia.

Principais Efeitos Terapêuticos

  • Diminuição de dor (aguda e crónica)
    • Analgesia rápida e duradoura através da normalização do limiar nociceptivo periférico e da modulação multisegmentar a nível central
  • Diminui processos inflamatórios
  • Estimula os processos biológicos envolvidos na recuperação de lesões articulares
    • Acelera a consolidação de fracturas ósseas
    • Acelera a reabsorção de edemas ósseos
    • Aumento da síntese de cálcio em patologia articular
  • Otimização da funcionalidade através da melhoria da representação cortical da área lesada
  • Acelera o processo de cicatrização muscular, tendinosa e ligamentar
  • Melhoria da sintomatologia associada a patologias da coluna vertebral
  • Diminui a dor neuropática pós traumática
  • Melhoria da ativação e da força muscular
    • Através da normalização funcional dos motoneurónios
  • Melhoria do trofismo dos tecidos

Exemplos de casos clínicos a ser empregue

  • Pós cirúrgicos
    • quando o movimento é ainda contra-indicado, é possível iniciar uma estimulação precoce da área intervencionada – resultados mais rápidos
    • para controlo de dor e inflamação
    • para evitar processos de atrofia marcados
    • para potenciar todos os mecanismos de cicatrização/regeneração
    • para melhorar a representação cortical (cérebro) da área intervencionada e que é obrigada a repouso
  • Lesões ósseas
    • atraso de consolidação óssea / pseudartrose / fractura não consolidada
    • fracturas
    • edemas / contusões ósseas
    • acelera, de forma notória, a consolidação de fracturas e síntese de cálcio e a reabsorção de edemas ósseos
      • Nota: mesmo ainda com gesso é possível usar esta tecnologia para se acelerar o mecanismo de consolidação da fractura
    • patologia degenerativa articular (exemplo do pé, joelho, anca ou coluna vertebral)
    • diminuição importante de dor
  • Lesões traumáticas/desportivas e nervosas
    • Roturas musculares
    • Estiramentos/Roturas ligamentares
    • Tendinites
    • Dor neuropática
    • Dor radicular proveniente de protusão/hérnia discal (ciática por exemplo)
    • em qualquer um dos casos estimula-se o processo biológico envolvido na recuperação deste tipo de lesões

A estimulação eletromagnética periférica repetitiva de alta intensidade é um método de tratamento não invasivo que se desenvolveu para a neuromodulação terapêutica para tratamento dos transtornos do movimento. Nesta estimulação magnética periférica, coloca-se uma bobina de estimulação que gera um campo magnético que penetra a uma profundidade capaz de alcançar o tecido lesado, gerando efeitos tróficos e microcirculatórios importantes, além de induzir desporlarização elétrica a nível neuronal favorecendo uma normalização dos processos de sensibilização relacionados com a nocicepção e disfunções neuromotoras (Beaulieu, 2013).

É uma tecnologia capaz de gerar 30.000 Gauss (3 Teslas) aquando do seu uso, o que se torna determinante no fornecimento de energia celular pela potenciação da função mitocondrial. Adicionalmente aumenta de forma marcada a circulação local o que potencia o fornecimento de oxigénio e nutrientes às áreas que se apresentem lesadas.

As células possuem também iões carregados positivamente e negativamente, e quando expostas a um campo eletromagnético, é possível interferir no comportamento iónico, que desencadeia uma série de reações celulares, incluindo o estímulo do metabolismo celular, aumento da produção de proteínas envolvidas na regeneração tecidual e na melhoria da circulação sanguínea local, aspetos estes determinantes, na cicatrização de lesões ósseas, musculares, ligamentares, tendinosas e ainda na gestão da dor, seja ela aguda ou crónica.