Fisioterapia Respiratória

A Fisioterapia Respiratória é a área responsável pela prevenção e tratamento de patologias do sistema respiratório. Em pediatria, a fisioterapia respiratória é indicada, visto que o surgimento de patologias do foro respiratório é mais suscetível em recém-nascidos, bebés e crianças.

Tal deve-se não só às suas características estruturais e funcionais, mas também ao meio envolvente e a características como a prematuridade, baixo peso à nascença e deficiências congénitas, entre outros fatores.

Bronquiolite, bronquite, pneumonia, infeção respiratória e asma brônquica, são algumas das patologias que beneficiam da ação da fisioterapia respiratória.

Através da aplicação de técnicas de desobstrução nasal, expiração rápida, expiração lenta prolongada, associada (ou não) a tosse provocada, realizada por fisioterapeuta com formação específica nesta área, promove-se a libertação das secreções que obstruem as vias aéreas centrais e periféricas e a promoção de uma eficiente função respiratória, que será vital no alívio de sintomas como a falta de ar e tosse.

MARCAÇÃO DE CONSULTA

Equipa especializada em Fisioterapia Respiratória

Focando a sua atenção na qualidade da avaliação clínica, a equipa da FISIOGlobal trabalha diariamente para proporcionar a cada utente a resposta mais adequada à sua condição, com a máxima qualidade e eficácia.

Esta forma de estar só é possível graças à combinação de uma equipa de trabalho interdisciplinar e altamente qualificada, com as mais recentes e distintas técnicas de intervenção na área da reabilitação, exercício clínico e bem-estar.

#

Ana Luísa Vale
Licenciada em Fisioterapia e em Educação Física, com estudo contínuo do movimento

Ler mais… ›

Perguntas Frequentes de Fisioterapia Respiratória

A Fisioterapia Respiratória é a área responsável pela prevenção e tratamento de patologias do sistema respiratório. Em pediatria, a fisioterapia respiratória é indicada, visto que o surgimento de patologias do foro respiratório é mais suscetível em recém-nascidos, bebés e crianças. Tal deve-se não só às suas características estruturais e funcionais, mas também ao meio envolvente e a características como prematuridade, baixo peso à nascença e deficiências congénitas, entre outros fatores.

Alguns dos sintomas comuns de doenças respiratórias são:

  • Tosse;
  • Falta de ar (dispneia);
  • Padrão de respiração alterado;
  • Congestão e corrimento nasal;
  • Sibilos;
  • Som ofegante (estridor).

Os sintomas e a sua gravidade podem variar de acordo com a condição e o indivíduo. Sabia que existe uma maior prevalência de patologias respiratórias em bebés e crianças, e que essas patologias são um dos principais motivos pelo qual pais e mães levam os seus filhos a uma unidade de saúde?

Através de manobras específicas é possível facilitar a remoção de secreções, melhorar a ventilação e as trocas gasosas, manter a permeabilidade das vias aéreas, diminuir a dificuldade respiratória, promover os mecanismos naturais de limpeza das vias aéreas superiores, através de técnicas como a desobstrução rinofaríngea retrógrada, aceleração do fluxo expiratório, expirações forçadas, expirações lentas prolongadas, tosse provocada, tosse assistida e, não menos importante, a educação aos pais através de indicações domiciliares que permitirão potenciar a recuperação do bebé/criança.

A bronquiolite é uma infecção viral respiratória e que afeta sobretudo crianças até aos 2 anos de idade, cuja maioria de casos se regista entre o inverno e a primavera, com o pico de incidência a decorrer entre janeiro e fevereiro.

Através da aplicação de técnicas de desobstrução nasal, expiração rápida, expiração lenta prolongada, associada (ou não) a tosse provocada, a Fisioterapia Respiratória visa a libertação das secreções que obstruem as vias aéreas centrais e periféricas e a promoção da função respiratória eficaz. As manobras não são invasivas e os resultados são praticamente imediatos, com a melhoria significativa da sintomatologia.